/

lyrics

Deito a minha cabeça
no teu ombro de pistola
e espero que anoiteça

os meus miolos,
espalhados,
e o crânio,
aberto

Os teus olhos são tesouras,
que me cortam o sono
disparas alfinetes,
quando falas

Deito a minha cabeça
no teu ombro de barbear
e espero que a banheira, echa.

Os teus olhos são tesouras,
que me cortam o sono
disparas alfinetes,
quando falas

credits

from Canções Mortas, released December 15, 2014

tags

license

about

coelho radioactivo Porto, Portugal

contact / help

Contact coelho radioactivo

Streaming and
Download help